Quando as Catedrais eram Brancas, notas breves sobre arquitectura e outras banalidades, por Pedro Machado Costa

| Subscrever via RSS

Adenda à entrada anterior (more differences)

| |

Não é que deseje dar razão a essa opinião que coloca a arquitectura do Porto numa outra escala. E no entanto há coisas que são de facto (ligeiramente) diferentes: enquanto a revisitação (de Jorge Figueira) às conferências do Porto (Herzog, Chipperfield, Moneo, Siza, Grassi, Zumthor, etc.) é validada com 1 (um) crédito em Formação Opcional em Matéria de Arquitectura, já a Volta a Portugal de Campos Costa / Nuno Louro vale 3 (três) desses créditos.

Decididamente é mais fácil tornarmo-nos arquitectos em Lisboa do que no Porto. Geografias à parte, desconfio é que depois será mais fácil ser arquitecto no Porto do que em Lisboa.

7 comentários:

joão amaro correia disse...

what's going on:
http://www.youtube.com/watch?v=DtUMa0FtuWY


sou ave de arribação. mas diz que agora arranjei poiso.

j

Quando as Catedrais eram Brancas disse...

tanta tendência emperrada por um poiso :)

joão amaro correia disse...

http://www.youtube.com/watch?v=fn4i8bAfnMY

Quando as Catedrais eram Brancas disse...

aí está uma boa razão que não impossibilita, mas limita.

joão amaro correia disse...

diz que sim, diz que sim.
http://www.youtube.com/watch?v=IVFT7i94zQU&feature=related

AM disse...

there's a riot going on

time:

http://www.youtube.com/watch?v=Rmo6erWD7po&feature=related

AM disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Fe75uqZIikg

Tags