Quando as Catedrais eram Brancas, notas breves sobre arquitectura e outras banalidades, por Pedro Machado Costa

| Subscrever via RSS

Canavilhas

| |

Pode até não ser relevante para aquilo que se faça o sítio, qualquer que ele seja, onde se cresceu. Mas é óbvio que tudo isso se altera no momento em que o acaso implica que se cresça já não num sítio qualquer, mas antes nos Açores. É que os Açores não são um sítio qualquer. Na verdade não são sítio algum. São antes uma espécie de ideia.
Dessa forma crescer nos Açores implica de certa forma crescer numa ideia. Ora: tal facto tem, comprovadamente, sido relevante para aquilo que se faz. Ou nesta caso para aquilo que se irá fazer. Pelo menos assim se espera.

1 comentários:

Rosália disse...

Tendencioso, qb, mas verdadeiro. Vale para o Antero, para a Natália... e até para o Pauleta:)

Tags