Quando as Catedrais eram Brancas, notas breves sobre arquitectura e outras banalidades, por Pedro Machado Costa

| Subscrever via RSS

North by Northwest

| |















Vandamm House [MGM: Boyle, Hornign, Pye, Grace, McKelvey], North By Northwest, A. Hitchcock, 1959

Das três razões que nos prendem ao sofá sempre que passa o North by Northwest, a mais racional deve-se àquela casa do Monte Rushmore. Desconfiavamos, claro, que a casa não ficava propriamente no Monte Rushmore; mas isso seria, quanto muito, um incómodo menor, face à curiosidade de saber a origem da coisa.
Descubro agora que a casa é falsa. quer dizer: nunca existiu realmente. Ou antes: nunca ninguém a habitou. Facto este que só confirma a suas qualidades arquitectónicas.

7 comentários:

joão amaro correia disse...

em todo o caso, a eve-marie saint apresenta-se-me como uma razão bastante mais plausível para ficar a ver o filme.

e o átrio da un? e a grand central station?
ou a coolness do cary grant.

AM disse...

o am rende-se ao puro genio de toda a sequência (muda) da aventura do grant na planície...
já o pornografo amador do ODP prefere o gag com o tamanho das giletes :)))
casas a levitar - que cena... - é que só mesmo nos filmes... :)

AM disse...

génio e pornógrafo, claro :)
que o hitch era um tarado dos antigos :)

Anónimo disse...

This is one of those pictures looking like they were taken at night but they were made in bright sunlight, a bit underexposed and with a blue filter. Try it sometime, it's fun. And use your flash with a yellow filter in front of it.
The house is, of course, a dream!

RPinto

Pedro Machado Costa disse...

Fala-se em Eve-Marie e aparecem logo os pornógrafos.

jraulcaires disse...

A sequência da planície é de facto genial. E lembra-me os livros do "tintin".

joão amaro correia disse...

mas foste um pouco mais longe, pedro. falaste na claudia cardinale.
isso é que me foi mortal.

Tags